Reserva online






Hotel Viva Maria

Av. São Francisco, 448 - Centro
CEP:39480-000 Januária/MG
Telefax: (38)3621-1414

Atrações Turísticas


Parque Nacional Grande Sertão Veredas


Área: 840 km2
Altitude: 1.100 a 1.700 metros
Criação: Abril de 1989
Ecossistema: campos de cerrado, campos de altitude e mata de galeria
Estado: Minas Gerais

 

Os passeios pelo parque sempre misturam o contato com a natureza, especialmente as paisagens de veredas, e o convívio com as populações locais.

A criação do Parque Nacional Grande Sertão Veredas,em 1989, teve a colaboração da organização não- governamental Pró-natureza-Funatura.

O nome é uma homenagem à obra-prima de Guimarães Rosa, que retratou a região e sua gente de forma magistral. Hoje, a Funatura administra o Parque em parceria com o IBAMA. O grande Sertão Veredas preserva um ecossistema de regiões secas do País, rico em espécies medicinais e de composição florística própria. Mas enfrenta o problema do uso intensivo de agrotóxicos nas lavouras vizinhas, que acabam contaminando os mananciais do Parque.

Nada menos que 623 espécies de plantas foram catalogadas do Grande Sertão Veredas. A que melhor simboliza o Parque é o buriti, palmeira de grande ocorrência ao longo dos rios, nas chamadas veredas onde chegam a se enfileirar por vários quilômetros.

São uma espécie de Oasis ou locais alagadiços, com vegetação abundante e árvores de porte alto, como o barbatimão, a sucupira, o pau-terra, o jatobá e o pequi.
A vegetação predominante nessas veredas, no entanto,é composta por árvores pequenas e retorcidas em meio ás pastagens naturais de gramíneas. Nos campos do Grande Sertão, emas e seriemas podem ser avistadas com extrema facilidade. A rara arara-canindé, que se alimenta dos frutos das palmeiras e faz seus ninhos nos buritis, também aparece em quantidade considerável.

E a coruja- buraqueira, os tucanos e o pica-pau-do-cerrado ocorrem com freqüência. Entre os mamíferos ocorrem pelo menos 56 espécies, ou seja, um terço daquelas características do cerrado. São, por exemplo, o tatu-canastra, o veado-campeiro, o gato palheiro e a suçuarana, todos os animais ameaçados de extinção e que encontram no Parque certa proteção. Exemplares do jacaré-coroa, réptil característico das caatingas, já foram vistos nos rios e lagoas do Parque.

Maiores informações: www.terrasertao.com.br
 

 
Voltar
2010 Todos os direitos reservados